"Ora, a leveza não é a simplificação, nem o reducionismo, mas o bom voo que nos permite ver mais longe." Ítalo Calvino

quarta-feira, 31 de março de 2010

Momento literário: Adeus China - O Último Bailarino de Mao

"Esta é a história de Li Cunxin - uma narrativa que poderia ter desaparecido, como as vidas de outros milhões de camponeses, em meio à revolução e ao caos. É uma história de coragem, de amor de mãe e do anseio por liberdade de um jovem. O relato belo e precioso de uma vida insporadora contado com honestidade."


Pensem em um livro emocionante, escrito com o coração. É assim que caracterizo "ADEUS CHINA - O Último Bailarino de Mao", autobiografia de Li Cunxin.
A história de Li gira basicamente em torno de sua saída da China em função do Ballet, e com isso a descoberta de um novo mundo.

O livro começa contando a infância do protagonista, na província de Qingdao, na China. Na época, após a Revolução Cultural de Mao, as pessoas viviam em uma situação de extrema miséria. A família Li, pelo grande número de filhos, fica resignada a se alimentar apenas de inhames secos, e dos bolinhos que a niang (mãe) fazia em datas especiais. O amor de mãe da niang e a força e coragem do dia (pai) são os responsáveis pela educação recebida por Cunxin e seus irmãos, fato que será determinante no seu sucesso na dança. A ida de Li à escola mostra como a educação foi encarada pelos seguidores de Mao. O tradicional livro vermelho é o companheiro inseparável de Li. Foi também na escola que foi selecionado para participar do Ballet de Madame Mao, o acontecimento que mudou sua vida.

A segunda parte da história se passa em Pequim, na academia de dança que Cunxin passa a pertencer, no início, com muito sofrimento. Sob a tutela de professores frios e exigentes, o menino começa a se acostumar ao sofrimento da solidão e ao medo do desconhecido. Aos poucos começa a fazer amigos e se destacar. Ao conhecer o professor Xiao, que se torna seu melhor conselheiro, Li decide que quer ser o melhor. Daí começa a sua carreira de sucesso.

Por fim, na terceira parte, Li Cunxin chega à América. É desertado e mais tarde acolhido novamente pelo seu país. Mas, após conhecer a terra da liberdade e ter apagada de sua mente a ideia errada de prisão e pobreza do Ocidente que tinham lhe imposto, Li decide permanecer nos Estados Unidos, onde consitui uma família com Mary, e se firma definitivamente como um dos maiores bailarinos clássicos do mundo.


As visitas à China se tornam mais frequentes e a ajuda financeira os proporciona uma vida mais tranquila.

"Um dia seria amigo do presidente e da primeira-dama, de astros de cinema e das pessoas mais influentes dos Estados Unidos. Seria uma estrela: o último bailarino de Mao, o queridinho do Ocidente."





E para a felicidade de muita gente (a minha está incluída!), neste ano será lançado o filme "Mao's Last Dancer". A estreia está prevista para Maio nos EUA. No Brasil, ainda não está definido. TRAILLER

4 comentários:

  1. quero saber quando vai passar o filme Adeus China o Ultimo bailarino de MAO

    ResponderExcluir
  2. UM livro maravilhoso. Vale a pena ler. Emocionar com amor de uma familia que viveu na miséria mas com verdadeiros valores. Lindo , emocionante um livro que quando acaba o leitor começa a ler de novo.

    ResponderExcluir
  3. TANTO O LIVRO QUANDO O FILME SÃO MARAVILHOSOS. D+. GOSTARIA DE VER O MAKING OFF.

    ResponderExcluir
  4. Eu adorei o Livro... foi uma forma de conhecer o cotidiano da China e suas dificuldades.
    Maravilhoso!!

    ResponderExcluir