"Ora, a leveza não é a simplificação, nem o reducionismo, mas o bom voo que nos permite ver mais longe." Ítalo Calvino

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Momento poético - 2

Seguindo conselhos do meu querido amigo Gustavo Bacha, o célebre Beiçola, vou adotar "poetisa" e abandonar de vez a generalização que "poeta" traz. "É mais classudo", diz ele.
No cardápio de hoje, um poema que me veio à cabeça após a leitura do livro "A Cidade do Sol/A Thousand Splendid Suns", de Khaled Hosseini, autor também de "O Caçador de Pipas". Livro maravilhoso, emocionante e cuja história deveria ser contada ao mundo.
[O Beiça querido tentou me ajudar no título também, sugeriu "Urbes em Solstício", mas acho que não combina muito. Obrigada, anyway. Aliás, não sei ser boa em títulos!]

Eis então o mais novo feito dessa pseudo-poetisa que vos escreve:





LUGAR AO SOL, LUGAR DO SOL

Fundo calabouço
sem grades, sem portões
guarda o jovem moço
e destroi suas emoções

Logo se entende
que nada vai adiantar
Se liberdade é o que pretende
chorar, berrar, lutar

Que jovem é este senão
o velho país que guarda
a moça, o moço afegão











:)

Um comentário:

  1. Um soneto estrambótico muito belo.

    Vi um comentário seu na comunidade de Vicky Cristina,e clicando, acabei por aqui.

    O mundo tem estado tão alheio - e carente de poesia... Continue!

    ResponderExcluir