"Ora, a leveza não é a simplificação, nem o reducionismo, mas o bom voo que nos permite ver mais longe." Ítalo Calvino

segunda-feira, 3 de maio de 2010

MARIA RITA, UM SHOW!

Após uma noite mal dormida de sábado, por causa da ansiedade, acordo ao meio dia de domingo. Dia especial. Meu time na final do campetonato (GALO CAMPEÃO!!!), SHOW DA MARIA RITA. Eita! Acordo com todo o gás!
Almoço na casa de vó, ansiedade comendo solta. Volto pra casa, tomar banho, assistir o jogo e me preparar para o show. Ansiedade aumentando. Arrumo minhas coisas, separo a câmera e as pilhas, apresso minha mãe e minha irmã, comemoro o título do meu time e tento controlar a ansiedade, já estou tremendo.
Vamos correndo para o Chevrolet Hall. Somos as primeiras na fila das cadeiras numeradas. Pra que tanta demora pra entrar? Entramos enfim, pulseirinhas alaranjadas totalmente VIP, muitas escadas pra subir. Chegamos, sentamos nas nossas cadeiras. Mamãe pede a champanhe, hoje merece. Bebemos... comemorar o que viria, diminuir a ansiedade, ocupar a mente durante as duas horas que ainda faltam. Batemos papo, olhamos o movimento das pessoas chegando. O tempo enfim passa.
As luzes se apagam, as cortinas se abrem. Lá está ela... na penumbra, a silhueta de uma mulher tão amada, tão desejada, tão querida, tão idolatrada... acima de tudo, tão real!

Com muitos gritos o Samba começa. No início meio tímido, vai ganhando força e expressão. Maria Rita solta a voz e me arrebata! Estou, mais uma vez, mergulhada neste momento. Não há mais nada, mais ninguém que interrompa o que eu vivo. Arrepio a todo instante, grito, canto, pulo, sambo (ao menos tento), desejo ouvir isso pra sempre. Escuto o discurso mais sincero, mais intenso, vejo choro, e choro junto. Sinto vontade de abraçá-la, agradecer pelo que me proporciona. Quero mostrá-la a intensidade do que sinto. E ela lá, maravilhosa, se entregando a nós.

O show continua, numa velocidade assustadora. Não, já passou da metade, quero tudo de novo! Ela troca de roupa, ficaria ainda mais linda, se fosse possível. Volta com tudo, canta Corpitcho e deixa o público eufórico. Canta, canta e não para mais.

Sai de novo. Agora vem a mais esperada de todas. "Não Deixe o Samba Morrer" regado a lágrimas, de cá e de lá. Não poderia ser outra. Não deixaremos o samba morrer jamais. SAMBA MEU não morrerá. É a última apresentação, a cantora emocionada sabe que valeu a pena. Nós agradecemos por ter acontecido. SM, o projeto que nasceu sem um rumo certo, se tornou o nosso rumo. Maria Rita, que já era a mais querida, se torna a indispensável.

O show acaba. Sento na minha cadeira e não arredo o pé. Espero que ela apareça pra um oizinho, que seja. Descubro uma fila se formando. E não é que ela vai tirar foto com todo mundo? É mesmo uma querida! Estou na fila, encontro conhecidos virtuais, rio até com minha mãe, mega empolgada! Estou no caminho do céu!
A nossa hora chega. Passamos pela grade, e outros furam nossa fila. Sem problemas, hoje tudo é festa. Vamos tirar a foto, em posição. Ela passa o braço no meu ombro, e eu sinto o cheiro dela. Que vontade de virar e dizer: OBRIGADA POR TUDO! Só consigo dizer um obrigada tímido. Entrego sem jeito minha carta, que nem sei se um dia será lida. Estou completa.


Estamos indo embora, chego em casa, transfiro as fotos e os vídeos pro computador. Escrevo no Blog. Ainda não percebi a grandeza dos sentimentos que possuo. Estou extática. Quero dizer ao mundo: como é bom ser fã da pessoa certa!

MARIA RITA, obrigada por ser peça fundamental da minha vida. Muita luz na nova Trajetória. Que o caminho seja doce, e que nossos reencontros sejam frequentes. A mulher que eu admiro, a cantora que me traduz, a sambista que me embala. Minha "ídola"! Quem entitulou meu blog, minha paixão. SUCESSO!

Se eu pudesse estar pra sempre presa em uma situação, o show da Maria Rita seria, sem dúvidas, forte concorrente!


Postagem mais antiga aqui no Blog, sobre a Cantora: http://dezdesatinos.blogspot.com/2010/01/momento-musical-maria-rita.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário