"Ora, a leveza não é a simplificação, nem o reducionismo, mas o bom voo que nos permite ver mais longe." Ítalo Calvino

terça-feira, 25 de maio de 2010

Letra de música para o fim do ócio virtual - 2

DOM QUIXOTE
Compositores: César Camargo Mariano & Lula Barbosa
Intérprete: Maria Rita


Cavaleiro andante estrela marginal
Sobre o Rocinante escravo de metal
Um acorde rasga o céu
Raio negro a cavalgar o som
E cavalgar sozinho... e cavalgar
Viverá pra sempre em nosso coração
O moinho vento nova geração
Um menino vai crescer
Procurando em cada olhar o amor
E caminhar, sozinho... e caminhar
Tanta gente se esconde do sonho com medo de sofrer
Tanta gente se esquece que é preciso viver
Combater moinhos, caminhar entre o medo e o prazer
Somos todos na vida, qualquer um de nós
Vilões e heróis, vilões e heróis
E seja onde for, qualquer lugar
Levar a luz que te conduz
Jamais abandonar o dom que te seduz
E seja onde for, qualquer lugar
Levar a luz que te conduz
Jamais abandonar o dom que te seduz

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Antigos escritos - 4

Estou muito atarefada ultimamente, então postarei um texto mais antigo, que é mais rápido transcrever do que criar. Este vou postar motivada pela adoção do ENEM pela UFMG como primeira etapa do Vestibular, o que eu considero um erro. (Mas isso é outro assunto).
Este texto que posto agora foi escrito em 14 de dezembro de 2009, acredito eu, mês mais produtivo da minha vida literária! rs
Eis:


A SORTE ESTÁ LANÇADA

A implantação do novo ENEM a partir desse ano reanimou a discussão sobre o vestibular, tema tão polêmico no país. As mudanças de avaliação, ainda que teóricas, suscitaram ideias sobre o possível fim do vestibular, na minha visão, impossível. Enquanto houver mais candidatos do que vagas, haverá seleção dos mais "preparados".

Foi pensando na eterna injustiça dos diversos meios de filtração que cheguei à conclusão de que a entrada na universidade tem que ser feita de outro modo. Sugiro sorteio. Embora pareça um método pouco válido,não é. A sorte é igual para todos e probabilidade é uma questão de acaso. Após cumprir uma série rígida de pré-requisitos, as pessoas poderiam se candidatar para o sorteio.

Já antecipando os contra-argumentos, não acredito no fim da meritocracia. Ela apenas seria adiada para o curso superior, e as pessoas provariam sua capacidade estando no meio acadêmico. Quanto à heterogeneidade de níveis de conhecimento das pessoas que entrassem, o problema seria resolvido nos primeiros anos do curso. Não há nada que um bom ciclo básico não nivele.

E, em último caso, se não for sorteado em cinco anos, o candidato é posto para dentro.
Talvez seja mais justo.




~*

Muita vida pra pouco tempo!

Sobram-me tarefas... falta-me tempo e disposição pra fazê-las. Fico pensando na preguiça e no desânimo. Quando vejo, perdi tempo pensando. Quando me animo então pra recomeçar, percebo que muito se passou enquanto estava desanimada... e aí me desanimo de novo.
Prezados e estimados poucos leitores, peço perdão pela ausência. Peço perdão a mim mesma por não saber minhas prioridades.
Peço tempo!


segunda-feira, 3 de maio de 2010

MARIA RITA, UM SHOW!

Após uma noite mal dormida de sábado, por causa da ansiedade, acordo ao meio dia de domingo. Dia especial. Meu time na final do campetonato (GALO CAMPEÃO!!!), SHOW DA MARIA RITA. Eita! Acordo com todo o gás!
Almoço na casa de vó, ansiedade comendo solta. Volto pra casa, tomar banho, assistir o jogo e me preparar para o show. Ansiedade aumentando. Arrumo minhas coisas, separo a câmera e as pilhas, apresso minha mãe e minha irmã, comemoro o título do meu time e tento controlar a ansiedade, já estou tremendo.
Vamos correndo para o Chevrolet Hall. Somos as primeiras na fila das cadeiras numeradas. Pra que tanta demora pra entrar? Entramos enfim, pulseirinhas alaranjadas totalmente VIP, muitas escadas pra subir. Chegamos, sentamos nas nossas cadeiras. Mamãe pede a champanhe, hoje merece. Bebemos... comemorar o que viria, diminuir a ansiedade, ocupar a mente durante as duas horas que ainda faltam. Batemos papo, olhamos o movimento das pessoas chegando. O tempo enfim passa.
As luzes se apagam, as cortinas se abrem. Lá está ela... na penumbra, a silhueta de uma mulher tão amada, tão desejada, tão querida, tão idolatrada... acima de tudo, tão real!

Com muitos gritos o Samba começa. No início meio tímido, vai ganhando força e expressão. Maria Rita solta a voz e me arrebata! Estou, mais uma vez, mergulhada neste momento. Não há mais nada, mais ninguém que interrompa o que eu vivo. Arrepio a todo instante, grito, canto, pulo, sambo (ao menos tento), desejo ouvir isso pra sempre. Escuto o discurso mais sincero, mais intenso, vejo choro, e choro junto. Sinto vontade de abraçá-la, agradecer pelo que me proporciona. Quero mostrá-la a intensidade do que sinto. E ela lá, maravilhosa, se entregando a nós.

O show continua, numa velocidade assustadora. Não, já passou da metade, quero tudo de novo! Ela troca de roupa, ficaria ainda mais linda, se fosse possível. Volta com tudo, canta Corpitcho e deixa o público eufórico. Canta, canta e não para mais.

Sai de novo. Agora vem a mais esperada de todas. "Não Deixe o Samba Morrer" regado a lágrimas, de cá e de lá. Não poderia ser outra. Não deixaremos o samba morrer jamais. SAMBA MEU não morrerá. É a última apresentação, a cantora emocionada sabe que valeu a pena. Nós agradecemos por ter acontecido. SM, o projeto que nasceu sem um rumo certo, se tornou o nosso rumo. Maria Rita, que já era a mais querida, se torna a indispensável.

O show acaba. Sento na minha cadeira e não arredo o pé. Espero que ela apareça pra um oizinho, que seja. Descubro uma fila se formando. E não é que ela vai tirar foto com todo mundo? É mesmo uma querida! Estou na fila, encontro conhecidos virtuais, rio até com minha mãe, mega empolgada! Estou no caminho do céu!
A nossa hora chega. Passamos pela grade, e outros furam nossa fila. Sem problemas, hoje tudo é festa. Vamos tirar a foto, em posição. Ela passa o braço no meu ombro, e eu sinto o cheiro dela. Que vontade de virar e dizer: OBRIGADA POR TUDO! Só consigo dizer um obrigada tímido. Entrego sem jeito minha carta, que nem sei se um dia será lida. Estou completa.


Estamos indo embora, chego em casa, transfiro as fotos e os vídeos pro computador. Escrevo no Blog. Ainda não percebi a grandeza dos sentimentos que possuo. Estou extática. Quero dizer ao mundo: como é bom ser fã da pessoa certa!

MARIA RITA, obrigada por ser peça fundamental da minha vida. Muita luz na nova Trajetória. Que o caminho seja doce, e que nossos reencontros sejam frequentes. A mulher que eu admiro, a cantora que me traduz, a sambista que me embala. Minha "ídola"! Quem entitulou meu blog, minha paixão. SUCESSO!

Se eu pudesse estar pra sempre presa em uma situação, o show da Maria Rita seria, sem dúvidas, forte concorrente!


Postagem mais antiga aqui no Blog, sobre a Cantora: http://dezdesatinos.blogspot.com/2010/01/momento-musical-maria-rita.html